Como harmonizar vinhos com comida

Como harmonizar vinhos com comida

Como harmonizar vinho tinto? 

Harmonizar vinho tinto sugere uma combinação mais forte. Pratos mais estruturados junto com vinhos mais robustos. No entanto, mesmo dentro das opções dos tintos, encontramos exemplos mais leves. 

Gamay e Pinot Noir são opções leves, com pouco tanino e que funcionam bem com carnes de ave (frango, peru e codorna), peixes magros, massas e risotos preparados com legumes e queijos de massa mole. 

No meio da tabela temos as castas Carmenérè e Merlot, vinhos de intensidade e corpo mediano. Combinam bem com carnes de caça, peixes de carne escura e carne assada. 

Tannat, Cabernet Sauvignon, Syrah e Malbec são variedades fortes, normalmente associadas à carne. Picanha, churrasco, costela de boi e suína, pizza de calabresa e até hambúrgueres na churrasqueira vão muito bem com esses vinhos. 
 
Massa com molho vermelho sugere-se também harmonizar com vinho tinto. A estrutura do molho e seus ingredientes dirão qual o melhor vinho para acompanhar. Para molho de tomate é aconselhável vinhos leves e com boa acidez, como o Chianti e Merlot. Quando leva carne em sua composição podemos partir para um vinho mais encorpado, como Cabernet Sauvignon.  

Como harmonizar vinhos brancos? 

Harmonizar vinhos brancos com pratos mais leves é a melhor opção. Vinhos com pouca estrutura combinam com pratos sem peso, como frutos do mar salteados, shushi, saladas e legumes crus. Se o vinho escolhido for mais estruturado, ou tiver alguma passagem por barril, é possível elevar o peso da comida. Por exemplo, cortes suínos mais magros, como lombinho ou filet mignon, ou peixes gordurosos, como salmão e tambaqui. 

Pratos mais cremosos, como molhos à base de queijo, vão bem com Chardonnay, um vinho untuoso. Molho pesto pede um vinho igualmente aromático, como o Sauvignon Blanc. Peixe frito, lula à dore, bolinho de bacalhau e outras frituras do mar pedem vinhos com acidez marcante, para limpar o paladar da gordura.  

Como harmonizar vinho rosé? 

Harmonizar vinho rosé é sempre uma boa alternativa, pois o rosé é um vinho super versátil.   
O rosé possui pouca ou média presença de tanino e boa acidez, isso faz com que esse vinho combine com uma gama maior de comidas. Quanto mais escura for a cor do vinho, mais tanino ele apresenta, então aguenta pratos um pouco mais pesados. Os mais claros são ótimos para acompanhar entradas leves e refrescantes, como ceviche de peixe branco, sashimi, salada agridoce, carpaccio de polvo, steak tartare e alichella. 

Rosés mais ácidos são bons para limpar o paladar de pratos gordurosos e frituras. Por exemplo: frango assado, arroz de forno com bacon, carne de panela e até feijoada.